ÁREA TÉCNICA – “FUNDAMENTOS DE JOGO DE 1”. ARTIGO 2

0 216

Por Sara Almeida, treinadora de Futsal Nível 3 – UEFA A

Continuando a explorar os fundamentos de jogo de 1, precisamos de entender ou analisar que comportamentos técnico-táticos que um/a atleta tem de adquirir. E nunca é demais entender este “por maior” para avançarmos mais uma fase deste artigo. Então, os comportamentos que observamos ou trabalhamos com os/as atletas são situações que deparamos: jogar com a bola e jogar sem bola – quando a sua equipa tem a posse de bola e quando não tem a posse de bola. E que comportamentos são estes? Ora vamos lá ver:

Comportamento técnico-tático do jogador (MORENO, 1999 apud SANTANA 2008)­

Todos estes comportamentos são sinónimos de jogo 1×1. Mas será que chega para entendermos os fundamentos? Claro que não porque temos e devemos explorar cada vez mais o entendimento dos fundamentos e nada mais do que falar sobre o sistema ofensivo, que é onde se explora mais o 1×1 em situações de jogo específicos no jogo formal.

E como se processa? Bem, temos:

Inicio do processo através de:

  • Esquemas táticos (pontapés de canto (PC), lançamentos de baliza (LB) e pontapés de linha lateral (PLL));
  • Recuperações nas transições;
  • Desarme.

Constituição e desenvolvimento do processo ofensivo:

  • 1×1: condução de bola;
  • Combinação tática sem progressão;
  • Combinação tática com progressão;
  • Tentativa de passe;
  • Intervenção do/a guarda-redes;
  • Remate enquadrado;
  • Duelo.

Finalização do processo ofensivo:

  • Perda de bola direta ou indireta;
  • Remate não enquadrado;
  • Golo.

Mas continua a chegar para o entendimento geral dos fundamentos do jogo de 1×1? Claro que não! Até porque acima de tudo quando falamos de fundamentos de jogo, temos de mencionar o mais importante – a rota da formação – desde petizes até aos seniores. Ora vamos lá entender mais um pouco:

Em que se baseiam cada etapa?

E para terminar, vou dar exemplos do que se deve trabalhar em cada escalão.

Escalão PETIZES E TRAQUINAS Iniciação:

  • Objetivos do jogo: a bola e a baliza.
  • Descobrir os conceitos de ataque e defesa.
  • Saber a importância da bola como meio de jogo no ataque e na defesa.
  • Conheça as regras do jogo.
  • Comece nos processos perceptivos.

Escalão BENJAMINS E INFANTISDesenvolvimento desportivo:

  • Conhecer e saber utilizar os conceitos de adversário e parceiro no processo de jogo.
  • Ensinar a pensar enquanto executa ações técnicas.
  • Conhecer a relação entre técnica e tática.
  • Relacionar a tática individual e de grupo.
  • Torne os processos de decisão perceptiva mais difíceis.

Escalão INICIADOSAplicar técnica:

  • Buscar especialização.
  • Melhorar técnica máxima.
  • Usar a técnica em benefício da tática.
  • Dominar os fundamentos do jogo para aplicá-los aos diferentes sistemas.
  • Melhorar as decisões durante o jogo

Escalão JUVENIS E JUNIORESPerfeccionismo:

  • Adaptar o jogo às mais altas demandas.
  • Tornar as experiências técnico-táticas difíceis.
  • Melhorar a inteligência e a compreensão do jogo.
  • Definir papéis dentro do jogo coletivo.
  • Incentivar o pensamento contínuo e a tomada de decisões nas diferentes fases do jogo.

De concluir:
Ao trabalhar em categorias de iniciação, até iniciados, onde as condições físicas da criança estão se desenvolvendo, idealmente, o ideal é dar à criança o máximo de gestos técnicos e “drible” possível, independentemente de sua corpulência ou velocidade.

Até chegarmos aos estágios de especialização, todas as crianças devem conhecer e treinar situações 1×1 com finta, finta dupla, bicicletas, recortes, saídas de velocidade, etc; (deixem divertir)

À medida que avançamos através do treino e alcançamos estágios de aplicação da técnica, onde cada um está definindo suas características condicionais, o interessante é procurar promover o 1×1 de cada jogador com base em suas habilidades.

Isso não quer dizer que paremos de trabalhar as coisas que o jogador não lida, mas também faça com que cada um com suas características explore seus recursos, o rápido que transborda de velocidade, o corpulento que tira vantagem de seu poder, o hábil que busca explorar seu domínio da bola, etc; mas que todo mundo pechincha!

E termino aqui mais um artigo com uma pergunta interessante:
“Qual o gesto técnico mais importante no 1×1?”

Espero que tenham gostado e até ao próximo artigo!

Sara Almeida

Leave A Reply

Your email address will not be published.